sábado, 18 de novembro de 2017 0 comentários

Amanhã, para sempre, e agora

Mesmo que um dia regresse,
Que reencarnação seja verdade,
E uma e outra vez a vida permanece,
Por toda a lenta eternidade,

Será sempre como se tudo recomece
Nesse instante; sem experiência ou idade.
Sem amarras, escolhas que a vida tece,
Cada dia será uma nova oportunidade.

E mesmo que assim seja,
Que mil vezes de novo a vida reveja,
E recorde ou não tempos de outrora,

Em cada dia haverá alegria sobeja,
Ao reencontrar Aquela que se corteja
Amanhã, para sempre, e agora.

- 18 de Novembro de 2017



segunda-feira, 14 de agosto de 2017 0 comentários

Neste enfadonho dia do retorno

Na segunda feira de abrasador forno,
Na cidade invadida por sequiosos turistas
Buscando cervejas, esplanadas e vistas,
Regresso a meu labor morno...


O mar ainda me seduz com seu suborno;
O Verão me acena suas proezas artistas.
Mas desditosamente esqueço tais conquistas
Neste enfadonho dia do retorno.

- 14 de Agosto de 2017
sexta-feira, 4 de agosto de 2017 0 comentários

Quando o mundo entra em pausa

E um dia o Tempo desacelera:
A vida entra em câmara lenta,
A longa tarde parece que aumenta,
O ocaso se torna paciente espera...

O mundo real se esfuma como quimera:
Sons abafados, perdidos em bruma nevoenta
Pressas e afazeres que modorra afugenta
Sobra o bem estar que a calma gera...

Sei que estou em fugaz retiro.
E que enquanto devagar‎ respiro,
Prosseguem brigas por credo ou causa.

Mas não hesito nem vacilo.
Tudo olvido, prefiro o tempo ‎tranquilo
Quando o mundo entra em pausa.

- 30 de Julho de 2017



sábado, 15 de julho de 2017 0 comentários

E hoje não sei para onde vou

Um dia cansei de ser quem sou,
Do peso de todo o meu passado.
Saí do trilho tanta vez trilhado,
E hoje não sei para onde vou.

- 19 de Maio de 2017


Uma viagem de mil quilómetros começa com o primeiro passo.
(Provérbio chinês)



segunda-feira, 19 de junho de 2017 0 comentários

De Algo, de Alguém, de um Réu



Quando morre assim tanta gente,
Se levanta logo coro de Babel:
Será a Natureza tão cruel,
Será apenas e só indiferente?

Será a Humanidade inconsciente,
E que verte agora seu fel
Com os nervos à flor da pele,
Incapaz de ver como está doente?

Será que uma tragédia se evita,
Que se ignora tamanha desdita
Vociferando com os olhos no céu?

Em vão; nesta longa amargura
Nos perdemos em eterna procura
De Algo, de Alguém, de um Réu.

- 19 de Junho de 2017




quinta-feira, 15 de junho de 2017 0 comentários

Aquele que todos os dias revejo no espelho

Das escolhas e erros passados
Guardo para mim pena e remorso;
Dos sucessos a custo alcançados
Relembro meu talento ou esforço.

Não me orgulho de dias estouvados,
Nem memórias desses tempos distorço.
Assumo quando foram anos descuidados
E sua fama ou culpa carrego no dorso,

Talvez um dia defronte final juízo
E reveja palavras infelizes e tontas
Geradas por muito riso e pouco siso,

Mas agora e quando caminho para velho,
Só há um único a quem devo prestar contas:
Aquele que todos os dias revejo no espelho.

- 1 de Maio de 2017

domingo, 23 de abril de 2017 0 comentários

By the glitter of your spark


Once my life was a starless night;
I wondered aimlessly in the dark.
But I met you; blessed by your light,
By the glitter of your spark.

- 23rd April 2017

domingo, 2 de abril de 2017 0 comentários

On whether you prefer window or aisle



Do you prefer extra leg room
Or a glimpse of a view?
To be elbowed by the crew
Or a chance to mull your gloom?

Would you run and quickly zoom
On flight's end to places new
Or be one of the happy few
Who relish on a dawn's bloom?

Are you always on the phone
‎Or sometimes you need to be alone
In crowded places, searching a secluded isle‎?

It's all inside your heart, your head‎.
But a lot of you can be seen and said
On whether you prefer window or aisle.

- 30 March 201‎7




sábado, 1 de abril de 2017 0 comentários

I miss you as much as my lost youth

Sometimes I remember forgotten places
Shared only with a chosen few;
Deserted beaches, crowded cities too
But most of all, I remember familiar faces.

Of those memories I strive to keep traces;
Of holidays spent with others or just us two,
I will hold on dear and never say adieu,
To lucky times, so vivid that nothing erases.

But most of all, what I strive to recall, to see
Are those years when you and me
Were blessed with innocence and joy.

I long for those days when we were boys;
And so, my friend, I confess a stark truth:
I miss you as much as my lost youth.

- 1st April 2017



terça-feira, 21 de março de 2017 0 comentários

Por uma nova ou velha emoção

Eis a alma do infeliz poeta:
Em contemplação, alheamento;
Distraída em todo e cada momento,
Sonhadora, ansiosa, inquieta.

Perdida no labirinto do esteta,
De pé atrás, insegura do seu talento,
Buscando palavras que voam no vento
Ansiando só por uma estrofe completa…

Em demanda de imagem ou sugestão,
Ideal inteiro ou vislumbre de visão,
Júbilo imenso ou curta amargura.

Assim é o espírito em tortura:
Porfiando vida fora, na procura
Por uma nova ou velha emoção.

- 21 de Março de 2017

Quero ser Eu plenamente:
Eu, o possesso do Pasmo.
- Todo o meu entusiasmo
Ah! Que seja o meu Oriente!

- Mário de Sá Carneiro
 
;